Servidões ou a morte como camoniano gesto ético

Luis Maffei

Resumo


Servidões, recente livro de Herberto Helder, trabalha sobretudo com dois tópicos: a morte e a poesia. Nesse sentido, acaba por ser um conjunto também sobre o amor, dado humano que se imiscui, numa perspectiva como a herbertiana, nos dois temas centrais. Interlocutor privilegiado do poeta octogenário é Camões, que em sua obra trabalhou os mesmos tópicos e partilha com Herberto da ideia de que a morte, e o amor guardado na morte e feito poesia, é um procedimento ético.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.