Furtado Coelho e sua atuação no Teatro Ginásio Dramático, do Rio de Janeiro

Maria Clara Gonçalves, Orna Messer Levin

Resumo


A presente comunicação visa apresentar considerações acerca da importância de portugueses na cultura brasileira do século XIX; considerando especificamente o caso de Luís Cândido Cordeiro Pinheiro Furtado Coelho (1831-1900), importante ator, empresário e dramaturgo português de carreira profícua e influente na cena teatral brasileira. Furtado Coelho chega ao Brasil no ano de 1856 e passa a integrar o Teatro Ginásio Dramático, do Rio de Janeiro, destacando-se como ator e “ensaiador” da companhia. O trabalho desenvolvido pelo Ginásio Dramático orientava-se por uma concepção realista de teatro que permeava suas escolhas relativas a repertório, cenário e modos de interpretação. Nesse último ponto, Furtado Coelho se destaca como um divisor de águas, adotando uma forma de atuação mais natural e menos enfática, distinguindo-se dos modelos declamatórios e altamente estilizados que configuravam tradição dos palcos brasileiros. A novidade representada pelo ator despertou inclusive a atenção de representantes expressivos da intelectualidade brasileira, tais como Machado de Assis e Joaquim Manuel de Macedo. O caso de Furtado Coelho ilustra um fenômeno comum à cena dramática brasileira oitocentista – a participação de atores portugueses como mediadores entre as práticas locais e as novidades oriundas do teatro europeu – fenômeno esse que demonstra as confluências culturais que contribuíram à constituição dessa época de nossa história teatral.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.