A personagem na literatura portuguesa oitocentista

Roberto Loureiro

Resumo


Esta comunicação pretende analisar a personagem no Romantismo e no Realismo na literatura portuguesa oitocentista sob a ótica dos autores Almeida Garrett, Camilo Castelo Branco e Eça de Queirós. O romance tem na personagem uma possibilidade existencial pela via da subjetividade daquele “indivíduo” suscetível a dúvidas, receios, desejos, sonhos e que precisa fazer escolhas e suportar as consequências dessas escolhas. Por isso, o romance substituiu o herói pela personagem, figura que habita o universo da ficção com relevância, mas que nem sempre recebeu o destaque merecido e muitas vezes foi submetida a duas situações opostas: por um lado, ao reducionismo dos estudos canônicos; por outro, a uma cobertura aleatória e exagerada.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.