Entre átomos e letras: o clinâmen cinepoético de Manuel Gusmão

Marleide Anchieta de Lima

Resumo


Este trabalho propõe a análise da dinâmica cinematográfica presente na poesia de Manuel Gusmão. Observar-se-á, então, o movimento de desvios e declinações dos “átomos linguísticos”, assim como o diálogo estabelecido pelo poeta-crítico com o clinâmen lucreciano, de De rerum natura. Essa mobiliza- ção verbo-visual leva-nos também às concepções recorrentes na obra do referido autor, entre elas as de constelação temporal, de antropogênese e de reinvenção da origem, que enfatizam a ideia de repetição diferida e de-vagar e solicitam do leitor/espectador uma “implacável paciência”. Com essa perspectiva, além do ensaísmo de Manuel Gusmão, recorreremos às abordagens teórico-críticas de Michel Serres, Gilles Deleuze, Fernando Guerreiro e Walter Benjamin.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.