A epifania do corpo amoroso na primeira poesia de Luís Miguel Nava

Alexandre Bonafim Felizardo

Resumo


Na poesia inicial de Luís Miguel Nava, podemos vislumbrar, principalmente a partir do título de estreia, Onde à nudez, que a concepção lírica do autor principia-se por um ímpeto edênico, de grande luminosidade, em que o amor se insurge enquanto manifestação da liberdade, do encantamento pelo mundo. Dessa forma, a figura do rapaz, arquétipo de um viver em febre e plenitude, ganha relevo como uma epifania a concentrar o esplendor do cosmos e da natureza. O objetivo de nosso estudo é focalizar a presença amada enquanto configuração da paixão pelo real, pela vida e pela própria poesia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.