A perda de si no ato da escrita: o desassossego em Fernando Pessoa

Raphael Meciano

Resumo


O artigo que se segue busca elaborar por meio da análise do Livro do desassossego, de Fernando Pessoa, aquilo que torna a sua escrita necessária como perda de si enquanto autor. Partindo do problema de que Pessoa não busca o sentido final, tampouco a finalização de seus fragmentos em uma obra acabada, faço a seguinte pergunta: Por que tal escrita, analisada aqui como ato, não cessaria, ou melhor, não chegaria ao fim?

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.