'Promenades': o Passeio Público e o Jardim São Pedro de Alcântara em dois romances queirozianos.

Claudia Barbieri Masseran

Resumo


A cidade de Lisboa não é, na obra queiroziana, apenas um espaço cenográfico que localiza as ações narrativas.Lisboa é uma das personagens mais trabalhadas pelo escritor português nos seus romances, nosseus contos, nas suas cartas. Este artigo privilegia, contudo, dois espaços da capital pouco mencionadospela fortuna crítica: o extinto Passeio Público e o Jardim S. Pedro de Alcântara, ambos essenciais nastramas narrativas d’O primo Basílio (1878) e d’A Capital! (começos duma carreira), romance publicadopostumamente em 1945.


Palavras-chave


Eça de Queiroz; Lisboa; Passeio Público; Jardim S. Pedro de Alcântara.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Mário de. Lisboa do romantismo. Lisboa: Rodrigues & Cia., 1917.

CÂNCIO, Francisco. Lisboa de outros séculos: cem anos de pitoresco. Lisboa: Baroeth, 1940.

______. Lisboa de outros séculos: o namoro lisboeta no século XIX. Lisboa: Baroeth, 1941.

______. Lisboa no tempo do Passeio Público. Lisboa: Imprensa Barreiro, 1963. v. II.

CASTILHO, Júlio de. Lisboa antiga — Bairros orientaes. Lisboa: Livraria Ferreira, 1939. v. X, II Parte).

EÇA DE QUEIROZ, José Maria. O primo Basílio. In: Obras de Eça de Queiroz. Porto: Lello e Irmão Editores, 1979. vol. I.

______. A Capital! (começos duma carreira). Edição crítica preparada por Luiz Fagundes Duarte. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1992.

LE CUNFF, Françoise. Do Passeio Público ao Parque da Liberdade, Revista Camões: revista de letras e culturas lusófonas, Lisboa, n. 15/16, p. 179-186, jan./jun. 2003. Edição Especial

Marquês de Pombal.

MACHADO, Júlio César. Lisboa na rua. Lisboa: Empreza Horas Romanticas, 1874.

MADUREIRA, Nuno Luis. Lisboa luxo e distinção (1750-1830). Lisboa: Fragmentos, 1990.

MATOS, Alfredo Campos. Imagens do Portugal queiroziano. Lisboa: INCM, 1987.

MESQUITA, Alfredo. Lisboa. Lisboa: Empreza de História de Portugal, 1903.

______. Portugal pittoresco e illustrado. Lisboa: Empreza da História de Portugal, 1903. Presente edição fac-similada. Lisboa: Arquimedes Livros, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.