Vinte e Cinco de Abril e a memória de uma revolução em ruínas

Licia Rebelo de Oliveira Matos

Resumo


Este ensaio traz uma reflexão acerca dos desastres na cultura e na história portuguesa recente, com base na Revolução dos Cravos (1974) e o que restou de memória sobre ela. Analisamos o romance Os memoráveis, de Lídia Jorge (2014), especificamente um de seus personagens, cuja história reflete a queda do status heroico de revolucionário do Vinte e Cinco de Abril desde 1974 até 2004. Entrevistado para um programa de TV estadunidense, o personagem apelidado de major Umbela, que participara ativamente da revolução e do processo revolucionário que a seguiu, guarda a imagem da decadência de um império monumental, contrariando o poder instituído a partir da própria vida e da memória.


Palavras-chave


memória; Revolução dos Cravos; Os memoráveis; Lídia Jorge.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.