Ética e estética em Avalovara, de Osman Lins

Maria Lucia Guimarães de Faria

Resumo


O papel do escritor na sociedade e a possível contribuição da literatura para a realidade social e política do Brasil foram preocupações de primeira ordem para Osman Lins. Não apenas em entrevistas e escritos teóricos o escritor externou suas reflexões, mas também as absorveu e incorporou romanescamente. Em Avalovara, obra magna do autor pernambucano, o amplo espectro temático e a liberdade do arrojo criador favoreceram esta absorção. Aqui, a atitude participante se entretece tão intimamente na malha narrativa do romance, que ética e estética se vinculam e consorciam. As formas segundo as quais este consórcio se articula e configura constituem a matéria de investigação do presente estudo. Para levá-lo a cabo, será realizada uma leitura extensa e minuciosa do romance que evidencie uma de suas vertentes fundamentais: escrever durante regimes ditatoriais.


Palavras-chave


escrita; opressão; alegoria; ética romanesca; estética.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.