Santo Agostinho e(m) Antônio Vieira: anotações de literatura hagiográfica no século XVII

Felipe Lima da Silva, Ana Lúcia Machado de Oliveira

Resumo


Este texto procura, em primeira instância, sublinhar a presença do pensamento de Santo Agostinho na obra do Padre Antônio Vieira. Para tanto, tomaremos como âmbito de análise o “Sermão de Santo Agostinho”, pregado pelo jesuíta português aqui em questão, em celebração à festa dedicada ao respectivo santo. Nesse sentido, buscaremos demonstrar como, por meio da retórica aguda de Vieira, Agostinho seria considerado o maior dos santos na ampla hagiografia da Igreja Católica, justamente por ter caminhado a contrapelo dos costumes e dos ritos já consagrados para a ascensão dos mártires e beatos; em paralelo, o culto dos santos, que também buscaremos retraçar no espaço deste texto, seria considerado uma das principais tarefas autorizadas e desempenhadas após o Concílio de Trento para assegurar o poder do clero ortodoxo. No curso destas linhas, procuraremos tecer considerações relevantes que deem força e forma aos nossos argumentos, pensando, por exemplo, alguns temas ligados diretamente à hagiografia seiscentista e ao culto santoral.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.