Paulo da Gama e os narradores em Os Lusíadas, de Luís de Camões

Leni R. Leite, Paulo Roberto Sodré

Resumo


Considerando as reflexões de Cleonice Berardinelli sobre os narradores de Os lusíadas, de Luís de Camões, discutimos aspectos da estrutura narrativa dessa epopeia a partir da observação do narrador Paulo da Gama em cotejo com a atuação do narrador épico e do narrador-personagem Vasco da Gama. Propomos uma revisão das conclusões sobre o papel narrativo de Paulo da Gama no poema, considerando-o como o segundo narrador-personagem e, por conseguinte, o terceiro narrador em importância na arquitetura narrativa camoniana, de acordo com os objetivos expostos pelo autor na proposição do canto épico português. Hernâni Cidade, Jorge de Sena e Vítor Manuel de Aguiar e Silva conduzem, sobretudo, os argumentos expostos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMES, Glenn J. Background to the Voyage. In: GAMA, Vasco da (?). Em nome de Deus: The Journal of the First Voyage of Vasco da Gama to India. Leiden: Brill, 2009

ANDRETTA, Stefano. La realtà iberica nelle opere di Giovanni Pietro M. e Giovanni Botero. In: A COMPANHIA DE JESUS NA PENÍNSULA IBÉRICA NOS SÉCS. XVI E XVII: espiritualidade e cultura. Colóquio Internacional do Centro Interuniversitário de História da Espiritualidade, 2, 2004. Porto. Actas... Porto: Humbertipo, 2005. p. 519-542.

BARRETO, João Franco. Micrologia camoniana [1672]. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1982.

BEHR, Francesca D’Alessandro. The Narrator’s Voice: a Narratological Reappraisal of Apostrophe in Virgil’s Aeneid, Arethusa, Baltimore, v. 38, n. 2, p. 189-221, Spring 2005.

BERARDINELLI, Cleonice. A estrutura d’Os lusíadas. Os excursos do poeta n’Os lusíadas. In: ______. Estudos camonianos. Nova edição revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000. p. 15-30 (Estrutura); p. 31-55 (Excursos).

CAMÕES, Luís de. Os lusíadas. Edição coordenada por Gladstone Chaves de Melo et al. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1972.

______. Os lusíadas. Edição de Emanuel Paulo Ramos. 3. ed. Porto: Porto, [s. d.].

______. Os lusíadas. Fac-símile das duas edições de 1572. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1982.

______. Os lusíadas. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1999.

______. Os lusíadas. Prefácio de Álvaro Júlio da Costa Pimpão. Apresentação de Aníbal Pinto de Castro. 4. ed. Lisboa: Ministério dos Negócios Estrangeiros; Instituto Camões, 2000. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2016.

CASTANHEDA, Fernão Lopes de. História do descobrimento & conquista da India pelos portugueses. Coimbra, [s. ed.], 1552. v. 1. Disponível em: . Acesso em: 3 fev. 2017.

______. História do descobrimento & conquista da India pelos portugueses. Nova edição. Lisboa: Rollandiana, 1833. v. 1. Disponível em: . Acesso em: 9 jul. 2017.

CIDADE, Hernâni. A substância épica n’Os lusíadas: os heróis e a Nação. In: ______. Luís de Camões: o épico. 3. ed. corrigida e ampliada. Amadora: Bertrand, 1968. p. 167-176.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Índice analítico do vocabulário de Os Lusíadas. 2. ed. Rio de Janeiro: Presença, 1980.

FOWLER, Don. Deviant Focalisation in Virgil’s Aeneid. In: HARDIE, Philip. Virgil. London; New York: Routledge, 1999. v. 3. p. 302–23.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

MAFFEI, Giovanni Pietro (Iohannes Petrus Maffeius). Historiarum Indicarum Libri XVI. Lugdunum: Officina Iunctarum, 1589.

PERKELL, Christina (Ed.). Reading Vergil’s Aeneid: an interpretive guide. Norman: Oklahoma University, 1999.

PIMPÃO, Álvaro Júlio da Costa. Notas. In: CAMÕES, Luís de. Os lusíadas. Prefácio e notas de Álvaro Júlio da Costa Pimpão. Apresentação de Aníbal Pinto de Castro. 4. ed. Lisboa: Ministério dos Negócios Estrangeiros; Instituto Camões, 2000. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2016.

PINHO, Sebastião Tavares de. A descrição camoniana da Europa e a cartografia ginecomórfica, Revista Camoniana, Bauru, s. 3, v. 14, p. 185-228, 2003.

PUTNAM, Michael. Virgil’s Aeneid: interpretation and Influence. Chapel Hill: University of North Carolina, 1995.

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988.

SARAIVA, António José. Ut pictura poesis. Função e significado do maravilhoso n’Os Lusíadas. In: ______. Estudos sobre a arte d’Os lusíadas. Lisboa: Gradiva, 1996. p. 77-90; p. 111-121.

SARAIVA, António José. Ut pictura poesis. Função e significado do maravilhoso n’Os Lusíadas. In: ______. Estudos sobre a arte d’Os lusíadas. Lisboa: Gradiva, 1996. p. 77-90; p. 111-121.SENA, Jorge de. Camões e a estrutura de Os Lusíadas. In: ______. A estrutura de Os Lusíadas e outros estudos camonianos e de poesia peninsular do séc. XVI. Lisboa: Edições 70, 1980. p. 17-176.

______. Estudos sobre o vocabulário de Os Lusíadas com notas sobre o humanismo e o exotismo de Camões. Lisboa: Edições 70, [1982].

SILVA, Luís de Oliveira e. Autor e narrador n’Os lusíadas. Gama, Vasco da. In: SILVA, Vítor Aguiar e (Coord.). Dicionário Luís de Camões. São Paulo: Leya, 2011. p. 54-57 (Autor); p. 395-400 (Gama).

SILVA, Vítor Aguiar e (Coord.). Dicionário Luís de Camões. São Paulo: Leya, 2011.

______. Baco. In: ______ (Coord.). Dicionário Luís de Camões. São Paulo: Leya, 2011. p. 59-63.

SILVA, Vítor Manuel de Aguiar e. O romance: história e sistema de um género literário. In: ______. Teoria da literatura. 8. ed. Coimbra: Almedina, 2007. p. 671-786.

VIRGÍLIO. Eneida. Trad. Carlos Alberto Nunes. São Paulo: Editora 34, 2014.

WILLIAMS, R. D. The Sixth Book of the Aeneid. In: HARRISON, Stephen (Ed.). Oxford Readings of Vergil’s Aeneid. Oxford: Oxford University, 1990. p. 191-207.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.