Dizer o sentimento alheio: sobre a profissão do “escrivão de cartas”

Márcio Ricardo Coelho Muniz

Resumo


A figura do “escrivão de cartas” — sua representação estética e seu papel social e histórico — é o foco de interesse deste artigo, que relaciona o filme Central do Brasil,de Walter Salles (1998), a um auto quinhentista de autor desconhecido – Auto dos Escrivães do Pelourinho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.