QUINTAIS, Luís. Exúvia, gelo e morte: a arte de Rui Chafes depois do fim da arte / Exuviae, ice and death: the art of Rui Chafes after the end of art. Lisboa: Documenta, 2015. 117 p.

Pedro Pousada

Resumo


O ensaio de Luís Quintais aprofunda aspectos essenciais da obra escultórica de Rui Chafes que permaneciam esbatidos e que com esta obra renovam a sua presença e sobretudo a sua validação. Ao longo das páginas do seu ensaio Luís Quintais observa que Rui Chafes recusa a fetichização da banalidade; rejeita que a radicalidade sobreviva sem perícia, sem techné. Ficamos perante uma proposição desarmante: em R. C. a forma artística cauteriza, não reitera, prolonga mas não adere; a forma artística prefere a ruina ao lugar-comum e transforma numa linguagem plástica beligerante a consciência da separação entre sujeito e objeto, entre o Homem – como construção cultural – e a Natureza – esse gigantesco enquadramento do ser e da indiferença.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.