A publicação da obra literária de José de Almada Negreiros¹ (breves considerações)

Celina Silva

Resumo


O presente artigo aborda o estado atual da publicação da obra literária de José de Almada Negreiros nas diversas edições existentes até à data – Estampa (1970-1972), Imprensa-Nacional Casa da Moeda (1985-1993), Nova Aguilar (anos 1997), Assírio & Alvim (2000-2005) –, constatando-se lacunas de cárater múltiplo. Desde a enorme diferença do corpus da obra, à variabilidade quase inexplicável e inexplicada dos critérios de fixação de texto, passando pela organização dos vários volumes, as edições existentes revelam tanto uma ausência de planificação rigorosa no tocante à quantidade de volumes a dar à estampa, à seleção dos textos, quanto a adoção de metodologias incoerentes do ponto de vista documental no tratamento dos mesmos, por vezes até dentro de uma única edição. Com efeito, até à presente data desconhece-se de facto a extensão da referida obra, verificando-se um progressivo aumento da mesma em termos de quantidade de textos publicados. Por outro lado, existindo, relativamente a alguns textos, várias edições surgidas em vida do autor, nem sempre este facto é tido em conta. Dada a importância da obra e atendendo ao atual estado da sua publicação, ressalta o imperativo de uma edição crítica da mesma a fim de a apresentar a público sob uma forma rigorosa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.