Teresa Margarida da Silva e Orta (1711-1793)

Conceição Flores

Resumo


Teresa Margarida da Silva e Orta, a primeira romancista de língua portuguesa, nasceu em São Paulo, em 1711. O pai, José Ramos da Silva, um português que emigrara para o Brasil com apenas 12 anos, era filho de pai incógnito e viera como criado de servir para a Bahia tentar a sorte. A mãe, dona Catarina de Orta, era brasileira e filha de Matias Rodrigues da Silva, um dos homens mais ricos de São Paulo. O pai tornou-se um próspero comerciante e notabilizou-se durante a Invasão Francesa ao Rio de Janeiro, em 1711. A fortuna, porém, aumentou substancialmente com a especulação de gêneros alimentícios para Minas Gerais. Quando, em 1716, José Ramos da Silva voltou para Portugal com a família, levava um patrimônio invejável e um plano de ascensão social. Para isso tornou-se, em 1716, familiar do Santo Ofício; em 1721, por mercê real, obteve o hábito da Ordem de Cristo e, em 1722, comprou o cargo mais cobiçado do reino: provedor da Casa de Moeda de Lisboa. [...]


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.