António Feliciano de Castilho, a literatura alemã e Ossian

Gerald Bär

Resumo


Este artigo focaliza o papel de António Feliciano de Castilho como mediador e tradutor no processo da recepção portuguesa da literatura de expressão alemã e dos poemas atribuídos a Ossian. Estes tópicos ficaram intimamente relacionados, uma vez que Goethe cita extensamente fragmentos ossiânicos no seu romance epistolar Die Leiden des jungen Werthers (1774). A importância de Castilho em chamar a atenção de círculos literários portugueses para autores como Gessner e Goethe foi largamente negligenciada após as severas críticas que a sua tradução de Faust de 1872 provocou. Todavia, o objetivo não é uma reavaliação da tradução de Castilho ou da sua metodologia, mas alcançar uma perspectiva mais vasta sobre a sua recepção e divulgação dos autores em questão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.