Sobrevivências do Desassossego: Caminhos Editoriais do Livro Infinito de Fernando Pessoa

Gustavo Moura Bragança

Resumo


O trabalho propõe uma observação da trajetória editorial do Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa, a partir de análise crítica das escolhas dos editores, destacando-se, como eixo narrativo da argumentação, o impacto produzido pela emergência da primeira edição, publicada em 1982 por Jacinto do Prado Coelho, Maria Aliete Galhoz e Teresa Sobral Cunha, destacando-se ainda aspectos metodológicos das versões conflitantes de Richard Zenith e de Jerónimo Pizarro (em sua edição crítica), como modos de se pôr em discussão a pertinência de se publicar em livro uma “anti-obra” que, mesmo anunciando em si um livro como suporte vindouro de uma literatura assumidamente fragmentária, não suporta, entre os escritos deixados póstumos, uma obra fechada, perturbando a própria possibilidade do livro.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN: 2316-6134

A Convergência Lusíada é uma revista do Centro de Estudos do


Licença Creative Commons
A Revista Convergência Lusíada utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.