Chamada para submissão: Convergência Lusíada n. 43

O RACISMO EM PORTUGUÊS - UM OLHAR INTERDISCIPLINAR

Organizadoras:
Maria Cristina Firmino Santos – Universidade de Évora
Madalena Vaz Pinto – Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Prazo para submissão até 20 novembro de 2019.
Previsão de publicação: junho 2020.


Ementa:
Em ensaio escrito anos atrás (2002), Isabella Alegro de Magalhães referia a quase ausência de africanos na narrativa portuguesa não obstante a longa duração do colonialismo português. Tal observação confirmava a percepção de Eduardo Lourenço em ensaio anterior (1978) ao se referir a uma atitude cultural portuguesa, mais ampla e abrangente, como refratária à abertura e à diferença, o que o levaria a sublinhar com perplexidade “o que o Império não fez de nós”, em contraste com as marcas que ingleses ou holandeses carregavam consigo após a experiência colonial. Uma das marcas dessa atitude refratária é a persistência do racismo na cultura portuguesa, o modo com essa ideologia persiste ativa e brutal, embora pouco enfrentada. É possível afirmar que no que toca à literatura esse cenário se alterou significativamente nos últimos anos, quer com a publicação de narrativas de autores portugueses sobre a experiência em África, quer com narrativas de africanos ou com larga experiência em África que relatam comportamentos sintonizados com uma ideologia racista e excludente. E é possível esperar que a recepção a tais narrativas venha a abrir outros espaços de compreensão sobre o colonialismo português e os modos de transformar o presente. Entretanto, como se sabe, a literatura está aberta aos acontecimentos históricos de modo oblíquo e inesperado, sem estar pressionada pela necessidade de oferecer modelos de interpretação e inteligibilidade. O seu campo de atuação é antes o da plurissignificação e do dissenso e é esse espaço de liberdade que é preciso assegurar.      A partir dessa convicção, as organizadoras do número 43 da revista Convergência Lusíada propõem um olhar interdisciplinar – literário, histórico, artístico – que possa oferecer um panorama amplo do racismo em Portugal, agora e no passado, em suas várias manifestações.